Lutador de jiu-jítsu paraense (1º/10/1913-). Patriarca da família Gracie, responsável pela difusão do jiu-jítsu no Brasil. Neto de diplomata descendente de escoceses, Hélio Gracie nasce em Belém, onde passa a infância. Em 1914, o japonês Mitsuo Maeda, campeão mundial de jiu-jítsu, muda-se para Belém e Gastão Gracie o ajuda a se estabelecer na cidade.

Mitsuo ensina a luta aos filhos de Gastão, entre eles Carlos Gracie, irmão de Hélio, que se muda para o Rio de Janeiro e abre sua primeira academia, em 1925. Hélio tem vertigens, desmaios e problemas nas articulações, e é proibido de praticar jiu-jítsu, mas assiste a todas as aulas e depois de um ano se torna excelente professor teórico.

Tem a oportunidade de praticar quando o irmão se atrasa para uma aula - recebe elogios e assume a academia. Desenvolve o jiu-jítsu a ponto de essa modalidade ser considerada a mais eficiente arte marcial. Aos 17 anos luta pela primeira vez contra o boxeador Antônio Portugal e vence em 30 segundos.

A disputa mais longa da história também é vencida por ele, contra o ex-aluno Valdemar Santana, com duração de 3h45. Primeiro ocidental a derrotar um japonês, em 1932, luta até 1951, continuando depois a difundir o jiu-jítsu. Seus sete filhos são grandes lutadores, e um deles, Royce, é o maior ídolo de vale-tudo nos Estados Unidos (EUA).

A família tem academias no Rio e nos EUA, onde dá aulas para policiais e para atores como Mel Gibson, Chuck Norris e Rene Russo.