Parênquima

Tecido formado por células que não sofreram espessamento secundário de suas paredes. Possuem, portanto, apenas uma delgada parede celular primária.

As células parenquimáticas apresentam uma enorme diversidade de formas, tamanho, metabolismo e funções.

Nas algas, o corpo vegetal é formado 100% de células parenquimáticas. A medida que as plantas foram colonizando o meio terrestre, outros tipos de tecidos (colênquima, esclerênquima) evoluíram, a fim de proporcionar proteção, suporte, etc.

Funcionalmente, o parênquima é classificado em cinco tipos: parênquima sintetizador, parênquima estrutural, parênquima limítrofe, parênquima de transporte e parênquima de armazenagem.

O parênquima sintetizador é subdividido em: parênquima fotossintético, parênquima meristemático e parênquima secretor.

O parênquima fotossintético é rico em cloroplastos e recebe o nome de clorênquima. Idealmente, suas células possuem superfície aumentada em relação ao volume, a fim de otimizar a captação de luz e gás carbônico. As células cilíndricas do parênquima foliar (parênquima palisádico) são células desse tipo.

IlustraçãoAs células do parênquima meristemático (vale ressaltar que todo meristema é composto de células parenquimáticas) são capazes de absorver substâncias diversas (açúcares, água, nutrientes inorgânicos), para usá-las na síntese de novas células. Idealmente são pequenas e com poucas organelas, a fim de facilitar a rápida divisão celular. Exceções são as longas células do meristema produtor de fibras lenhosas.

O parênquima secretor superficial das plantas possui células com paredes extremamente delgadas e permeáveis, a fim de facilitar a passagem das substâncias secretadas. Quando o parênquima secretor se localiza internamente na planta, suas células possuem as paredes laterais espessadas com material hidrófobo, que impede o vazamento das substâncias secretadas.

O parênquima estrutural é constituído de aerênquima e confere ao tecido leveza associada a uma certa rigidez.

O parênquima limítrofe localiza-se na interface entre duas regiões vizinhas da planta ou entre a planta e o meio externo. São considerados parênquimas limítrofes a epiderme e a endoderme.

O parênquima de transporte é composto por células de transferência, que possibilitam o rápido fluxo de substâncias em várias regiões da planta. A parede celular das células de transferência é modificada para permitir que tal transporte, em geral de curta distância, se realiza com eficiência. Os elementos de tubo crivado do floema também constituem células parenquimáticas de transporte.

O parênquima de armazenagem é encontrado em frutos, sementes e tubérculos, por exemplo. Usualmente, o parênquima destes órgão armazena amido, proteínas ou óleos. Geralmente, as células estão completamente tomadas pelo seu produto de armazenamento, de tal forma que o vacúolo está ausente e as outras organelas são pouco conspícuas. Plantas suculentas, tais como as cactáceas e euforbiáceas, são constituídas em grande parte por um parênquima especial de armazenagem, que acumula água.


Últimas Notícias

IBGE prevê cerca de 1,5 mil vagas em concurso ainda em 2014

IBGE prevê cerca de 1,5 mil vagas em concurso ainda em 2014

Quinta, 14/08/14
O IBGE espera autorização do governo federal para realizar um concurso público, ... mais »
UFPB divulga edital oferecendo 16 vagas para docentes em João Pessoa

UFPB divulga edital oferecendo 16 vagas para docentes em João Pessoa

Quinta, 14/08/14
Os candidatos que desejarem realizar sua inscrição devem procurar a secretaria d... mais »
Ministério do Planejamento autoriza concurso com mais de 100 vagas para o INPI

Ministério do Planejamento autoriza concurso com mais de 100 vagas para o INPI

Quinta, 14/08/14
As 140 vagas à serem preenchidas são para os cargos de Pesquisador em Propriedad... mais »

Publique seu artigo

Utilize o espaço que o Algo Sobre disponibiliza para você professor, jornalista ou estudante divulgar seu trabalho com publicações no site.

Enviar agora