Tema, O

Comumente, verificamos que um aluno sente-se angustiado ao perceber que não sabe iniciar uma redação sobre o tema proposto. Essa dificuldade inicial provoca um sentimento, de incapacidade que vai acentuando, e provoca um bloqueio mental maior do que os que já existem em qualquer pessoa. Parece que, apesar de certas ideias boas aparecem esparsas em nossa cabeça, as palavras estão presas e não querem sair. Isso acontece não só com o estudante. Mesmo os escritores mais renomados sentem esse "bloqueio" momentâneo.

Às vezes, uma pessoa poderá iniciar uma redação abordando diretamente o assunto, sem introdução isso depende da maneira de cada um. É impossível determinar um padrão imutável para a introdução de uma redação, assim como para as outras partes. Tudo é variável, apesar de obedecer a algumas normas imutáveis.

Exemplo de parágrafo com introdução

TEMA: A fome de crianças abandonadas

"Você já parou para pensar na tristeza de uma criança faminta? Ela mastiga as migalhas de pão duro encontradas nas latas de lixo sem entender porque não há o momento do almoço e do jantar como ocorre com as outras crianças".
Você pode observar que o início do parágrafo traz uma introdução em forma de pergunta. O escritor questiona o virtual leitor sobre o problema, tentando levá-lo a um ato de reflexão.

Exemplo de parágrafo sem introdução

TEMA: A fome de crianças abandonadas.

"Vasculham as latas de lixo como se estivessem procurando diamantes perdidos. Um pedaço de pão duro, uma fruta podre, um doce estragado, tudo serve para aquele menino que não tem nada para colocar no estômago ansioso".
No caso deste texto, o escritor entra diretamente no tema que vai desenvolver, sem rodeios introdutórios.
Logicamente, existem muitas causas que concorrem para essa inibição no momento da expressão linguística. Vejamos algumas delas:

Causas objetivas: Em primeiro lugar você deve saber que nem tudo pode ser traduzido para um código linguístico. Há emoções que não podem ser expressas pela língua.
Além disso, a linguagem escrita envolve um condicionamento completamente diferente da linguagem falada:

a) Na escrita não há diálogo do autor com o leitor. Você escreve sozinho e deve conduzir o discurso sem a ajuda de um interlocutor.
b) Na escrita, as situações não estão configuradas. Você tem que criá-las.
c) Na escrita, enfim, não podemos recorrer aos gestos, que tanto nos auxiliam e tantas palavras poupam.

Causas subjetivas ou psicológica: Por influência da média, da normalidade do comportamento social, desenvolvemos em nós mesmos uma auto-censura rigorosíssima. Todos nós temos um grau de vergonha, timidez que reprime muitas ações que gostaríamos de realizar.

Considere, por exemplo, as pessoas reunidas em uma festa ou solenidade qualquer, ou mesmo um grupo de pessoas, em determinada situação. As discussões descontraídas e acaloradas acerca de um assunto qualquer cessarão imediatamente se alguém se aproximar e ligar o gravador.

Isso acontece também com a linguagem escrita. Você sabe que existe um leitor virtual que exercerá um julgamento de valor do que for produzido. Isso basta para deixá-lo hesitante sobre o que e como escrever. Constatados esses problemas, a atitude correta do aluno está em encarar com otimismo a tarefa que deve realizar. O temor inicial com relação ao tema proposto é natural, porém você deve fazer o seguinte raciocínio: "Eu preciso fazer" - "Eu quero fazer" - "Eu farei". Não poder haver pré-julgamentos daquilo que você se propõe a realizar.

É fundamental que você leia, atenciosamente, a proposição, bem como o texto de apoio, se ele ocorrer. Se o tema for "O clima do Brasil", não adianta fazer obra-prima versando sobre "O clima de Minas Gerais", porquanto o seu trabalho resultará inútil. Os corretores vão considerar que houve fuga ao tema proposto.

Cada pessoa possui um temperamento próprio, o que influência sua maneira de escrever. Alguns são sentimentalistas, românticos e nesse caso, os temas mais subjetivos como amor, amizade, carinho, serão tratados com mais desenvoltura. Outros são mais realistas, práticos, com raciocínio mais científico e, nesse caso, os temas como justiça social, poluição, guerras serão preferidos a outros que seja mais emocionais.

Como, nos exames e provas, você não tem oportunidade de escolha, convém que pratique variados temas. Você deve tentar ser um "curinga". O atleta que joga em qualquer posição tem mais chance de ser escalado.


Últimas Notícias

IBGE prevê cerca de 1,5 mil vagas em concurso ainda em 2014

IBGE prevê cerca de 1,5 mil vagas em concurso ainda em 2014

Quinta, 14/08/14
O IBGE espera autorização do governo federal para realizar um concurso público, ... mais »
UFPB divulga edital oferecendo 16 vagas para docentes em João Pessoa

UFPB divulga edital oferecendo 16 vagas para docentes em João Pessoa

Quinta, 14/08/14
Os candidatos que desejarem realizar sua inscrição devem procurar a secretaria d... mais »
Ministério do Planejamento autoriza concurso com mais de 100 vagas para o INPI

Ministério do Planejamento autoriza concurso com mais de 100 vagas para o INPI

Quinta, 14/08/14
As 140 vagas à serem preenchidas são para os cargos de Pesquisador em Propriedad... mais »

Publique seu artigo

Utilize o espaço que o Algo Sobre disponibiliza para você professor, jornalista ou estudante divulgar seu trabalho com publicações no site.

Enviar agora