Rei dos francos e dos romanos (2/2/742-28/1/814). Também conhecido como Carlos I, o Grande, é o filho mais velho do rei Pepino III, o Breve e de Betarda, ou Berta (dita "do pé grande"). Chega ao trono em 768, mas só pPressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Carlos Magno

por:

Rei dos francos e dos romanos (2/2/742-28/1/814). Também conhecido como Carlos I, o Grande, é o filho mais velho do rei Pepino III, o Breve e de Betarda, ou Berta (dita "do pé grande"). Chega ao trono em 768, mas só passa a ter total controle do poder depois da morte do irmão, Carlomano, em 771.

Durante os 46 anos de reinado, promove mais de 50 guerras para expandir o cristianismo e impor sua hegemonia ao Ocidente. Conquista a Saxônia, apodera-se da Catalunha, da Baviera, da Lombardia e da Frísia e luta contra os árabes na região dos Pirineus.

A crescente expansão do Império Franco e a aliança com o papa resultam na coroação de Carlos Magno como imperador dos romanos e dos franceses em 800. Sua corte na cidade francesa de Aix-la-Chapelle torna-se a sede política e administrativa do império e um centro intelectual efervescente.

Carlos Magno Por isso o período de seu reinado é conhecido como Renascimento Carolíngio. Morre após ter coroado imperador o filho Luís I, o Piedoso. A pedido do imperador alemão Frederico I, é canonizado em 1165 e cultuado na Alemanha e na França durante toda a Idade Média.

Suas façanhas são tema de vários poemas épicos criados para celebrar feitos históricos ou lendários, típicos da Idade Média, chamados canções de gesta. A mais antiga delas, a Canção de Rolando, fala sobre a derrota infligida ao exército de Carlos Magno pelos bascos nos arredores de Roncevaux, em 15 de agosto de 77.