INTRODUÇÃO O olho humano é um instrumento óptico altamente sofisticado, fazendo uma comparação com os atuais padrões tecnológicos atuais, podemos concluir que seu sPressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Ametropias

por:

INTRODUÇÃO

O olho humano é um instrumento óptico altamente sofisticado, fazendo uma comparação com os atuais padrões tecnológicos atuais, podemos concluir que seu sistema de funcionamento pode ser comparado ao de uma câmera fotográfica, em que a pupila é o diafragma, o cristalino é a lente, e a retina seria o filme fotográfico em cores. Neste resumo, além do globo ocular, veremos alguns dos principais defeitos da visão e como corrigi-los (em alguns casos) através de lentes apropriadas.

GLOBO OCULAR

Ilustração

ELEMENTOS DO GLOBO OCULAR

CÓRNEA - membrana transparente em forma de calota esférica.
ÍRIS - espécie de diafragma com abertura central variável para controlar a entrada da luz no olho.
PUPILA - disco da abertura causada pela íris.
CRISTALINO - meio transparente com forma de lente biconvexa.
RETINA - membrana de natureza nervosa, sensível a luz, e está ligada ao nervo óptico.
NERVO ÓPTICO - Transmissor das sensações luminosas captadas pela retina para o cérebro.

CONCEITOS BÁSICOS

PONTO PRÓXIMO ( PP ) de um globo ocular é a posição mais próxima que pode ser vista nitidamente, realizando esforço máximo de acomodação. Na pessoa normal, situa-se, convencionalmente, a 25 cm.

ACOMODAÇÃO VISUAL é o mecanismo pelo qual o olho humano altera a vergência do cristalino, permitindo à pessoa normal enxergar nitidamente desde uma distância de aproximadamente 25 cm até o infinito.

PONTO REMOTO ( PR ) de um globo ocular é a posição mais afastada que pode ser vista nitidamente, sem esforço de acomodação. Na pessoa normal, este ponto está situado no infinito.

PRINCIPAIS DEFEITOS DA VISÃO:

 MIOPIA
 HIPERMETROPIA
 PRESBIOPIA
 ASTIGMATISMO
 ESTRABISMO
 CATARATA
 DALTONISMO

MIOPIA

Apresenta como defeito o achatamento do globo ocular, provocando um alongamento no eixo óptico.
A correção é feita através de lentes divergentes.
O míope tem dificuldade de enxergar objetos mais distantes.
A imagem é formada antes da retina.

A vergência ou convergência ( C ) será:

Ilustração

ATENÇÃO: A vergência de uma lente no S.I é medida em m-1 (dioptria = di ) que equivale na linguagem popular ao "grau de uma lente".

HIPERMETROPIA

É corrigida com o uso de lentes convergentes.
Apresenta como defeito o encurtamento do globo ocular.
Dificuldade de enxergar objetos mais próximos.
Para a hipermetropia, vale as expressões:

Ilustração
Ilustração

PRESBIOPIA

 

Apresenta como defeito o endurecimento do cristalino.
Perda da capacidade de acomodação visual.
Não é defeito congênito, mais decorrente da idade.
É conhecida vulgarmente como "vista cansada".
A correção é feita com o uso de lentes convergentes.
Para calcular a distância focal usamos:

ASTIGMATISMO

Apresenta defeito na córnea, com raios de curvatura irregulares.
Ocasiona uma visão manchada dos objetos.
A correção é feita com o uso de lentes cilíndricas.

ESTRABISMO

Apresenta como defeito a incapacidade de dirigir para um mesmo ponto os eixos ópticos dos olhos.
A correção é obtida com o uso de lentes prismáticas.

CATARATA

Defeito que apresenta como causa a opacidade do cristalino.
A correção é feita com a substituição do cristalino por uma lente artificial, através de uma cirurgia.
Geralmente este defeito é encontrado em pessoas idosas.

DALTONISMO

A retina humana dispõe de dois tipos de célula fotossensível: os cones e os bastonetes.
Os cones são os responsáveis pela nossa visão colorida, fazendo a composição das cores primárias.
Os bastonetes são mais sensíveis à luz, embora não as cores.
A ausência de certos tipos de cones na retina, determinada por características genéticas, acarreta a falta de percepção de algumas cores, ou, as vezes, de todas. A cor que o daltônico não consegue captar é interpretada pelo cérebro como apenas mais um tom de cinza.

Video Aula Sobre Ametropias
http://www.virtual.unifesp.br/unifesp/oftalmo/ametropias/ametropias.html