“O contribuinte brasileiro está precisando receber um melhor tratamento das autoridades fiscais , sendo ele vítima constante de um Leão sempre descontente de sua mordida, não se sentindoPressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Emprego exaustivo de Gerúndio

por:

“O contribuinte brasileiro está precisando receber um melhor tratamento das autoridades fiscais , sendo ele vítima constante de um Leão sempre descontente de sua mordida, não se sentindo a salvo e sendo sempre surpreendido por novas regras, novas alíquotas, assaltando, o seu bolso”.

Observe que, além de constituir um recurso estilístico inadequado, o gerúndio promove ambiguidade e defeitos de conexão, caso não seja empregado com propriedade.

Melhor dizer:

O contribuinte brasileiro precisa receber um melhor tratamento das autoridades fiscais. Ele é vítima constante de um Leão sempre descontente de sua mordida, Não há ano em que se sinta a salvo. É sempre surpreendido por novas regras, novas alíquotas, novos assaltos ao seu bolso.”

Importante: Mau uso do Gerúndio

Novo vício de linguagem – o gerundismo – ameaça tomar conta do nosso idioma. O motivo da discórdia é o uso do verbo “estar” , acompanhado do gerúndio, para designar uma ação no futuro, como “vou estar te ligando” ou “estaremos abrindo”Sinceramente: nossa paciência está estando a ponto de estar estourando. O próximo “Eu vou estar transferindo a sua ligação”  que eu vá estar ouvindo pode estar provocando alguma reação violenta da minha parte. Eu não vou estar me responsabilizando pelos meus atos. As pessoas precisam estar entendendo a maneira como esse vício maldito conseguiu estar entrando na linguagem do dia-a-dia”. (excerto de Ricardo Freire)