Político e jornalista fluminense (30/4/1914-21/5/1977). Nascido em Vassouras, Carlos Frederico Werneck de Lacerda ingressa na política como militante da Juventude Comunista. Em 1945 integra a União Democrática Nacional (UDN). Pressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Carlos Lacerda

por:

Político e jornalista fluminense (30/4/1914-21/5/1977). Nascido em Vassouras, Carlos Frederico Werneck de Lacerda ingressa na política como militante da Juventude Comunista. Em 1945 integra a União Democrática Nacional (UDN).

Conquista projeção com a coluna Tribuna da Imprensa, no jornal carioca Correio da Manhã. Elege-se vereador pelo Distrito Federal em 1947 e funda o jornal Tribuna da Imprensa. Faz dura oposição ao presidente Getúlio Vargas.

Carlos Lacerda Em 1954 sofre um atentado realizado por membros da guarda pessoal do presidente, o que agrava a crise enfrentada pelo governo e culmina com o suicídio de Vargas. No mesmo ano elege-se deputado federal.

 Em 1955 participa do movimento contra a posse do presidente eleito Juscelino Kubitschek. Em 1960 é o primeiro governador eleito do estado da Guanabara (ex-Distrito Federal). Apóia o golpe de 1964, mas em 1966 busca a ajuda do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e de antigos adversários políticos, como Juscelino Kubitschek e João Goulart, para formar a Frente Ampla, movimento de oposição ao Regime Militar de 1964. Tem os direitos políticos cassados em 1968. Dedica-se, então, ao jornalismo e a sua editora, a Nova Fronteira. Morre no Rio de Janeiro.