Muitos dos avanços tecnológicos devem-se ao conhecimento científico alcançado na área da Biologia Molecular.Pressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Microbiologia e Imunologia

por:

O Curso

Muitos dos recentes avanços tecnológicos nas áreas das Ciências Médica e Biológica, devem-se ao conhecimento científico alcançado na área da Biologia Molecular. Hoje, com esses avanços, muitos conceitos da Microbiologia mudaram. Por exemplo, sabemos que nem todas as cepas de Escherichia coli, importantes agentes etiológicos da diarreia infantil, são capazes de causar doenças, mas apenas aquelas que evoluíram na direção de maior virulência, em função da aquisição de grandes segmentos de DNA específicos, carreando um grupo ou cluster de genes de virulência, conhecidos como Ilhas Genômicas ou Ilhas de patogenicidade.

As metodologias para o desenvolvimento de vacinas apresentam inovações. Hoje, já existem vacinas recombinantes que foram desenvolvidas empregando-se as técnicas de engenharia genética (como a vacina contra a hepatite B). Plantas são modificadas geneticamente, animais também têm seu genoma modificado, sem falar nos avanços nos conhecimentos da Biologia Molecular que levaram a uma melhor compreensão dos processos de certas doenças, gerando novos métodos de diagnóstico molecular. Além disso, espera-se para breve o desenvolvimento de métodos moleculares eficientes para a terapia de doenças ainda de difícil tratamento, ou incuráveis, como o câncer, doenças neurodegenerativas, a infecção pelo vírus HIV, entre outras.

O uso do processo de interferência gênica como estratégia para o tratamento de câncer e viroses, como a causada pelo HIV, já se encontra em fase experimental em seres humanos. Na interferência gênica, um RNA de fita única, pequeno, complementar ao mRNA que se quer destruir, é sintetizado em laboratório e denominado de RNAi. Na célula eucariótica, o RNAi se complexa a determinadas proteínas e em seguida ao mRNA alvo degradando-o totalmente e impedindo, assim, que a proteína alvo possa ser sintetizada. Essa proteína pode ser, por exemplo, uma proteína importante na proliferação de células cancerosas ou para a replicação do vírus HIV.

Perfil Profissional

IlustraçãoEsse cientista é dos que mais tempo passa dentro de um laboratório. Ele atua em pesquisas de biotecnologia, microbiologia da saúde, microbiologia ambiental. Estuda as estruturas dos fungos, vírus e bactérias para combater os seus efeitos e utilizá-los a favor do próprio homem, das plantações e dos rebanhos.

Na indústria, ele atua nos processos de fermentação da cerveja, do vinho e do queijo, na produção e controle de qualidade dos alimentos. Mas, a grande maioria atua em laboratórios de pesquisa.

Mercado de Trabalho

“Esse mercado é completamente novo e vinha sendo ocupado por outros especialistas da área de biológicas. O primeiro curso e único é da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A maior oferta de empregos está nas indústrias de bebidas e alimentícias, e nos laboratórios de análises clínicas. Para a pesquisa, as regiões que mais prometem são o Sul e Sudeste.” Prof. Angela Gonçalvez da Silva Univ. Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Matérias

- Controle de Qualidade e Processos em Microbiologia clínica
- Metodologia de Pesquisa
- Micologia Clínica
- Bacteriologia Clínica
- Bacteriologia Geral
- Bacteriologia Especial
- Virologia Clínica
- Parasitologia Clínica
- Biologia Molecular Aplicada
- Patógenos Emergentes
- Teste de Sensibilidade e Mecanismos de Resistência Bacteriana
- Legislação em Serviços de Saúde

Fonte: Professor Wagner Horta, PUC Goais