Rei de Israel (?-932 a.C.), filho de Davi com uma das mulheres de seu harém, Bathsheba. Reina por 50 anos, de 972 a.C. até sua morte. Apesar de ter irmãos mais velhos, sobe ao trono mesmo com o pai vivo, graças aos esforçPressione TAB e depois F para ouvir o conteúdo principal desta tela. Para pular essa leitura pressione TAB e depois F. Para pausar a leitura pressione D (primeira tecla à esquerda do F), para continuar pressione G (primeira tecla à direita do F). Para ir ao menu principal pressione a tecla J e depois F. Pressione F para ouvir essa instrução novamente.

Título do artigo: Salomão

por:

Rei de Israel (?-932 a.C.), filho de Davi com uma das mulheres de seu harém, Bathsheba. Reina por 50 anos, de 972 a.C. até sua morte. Apesar de ter irmãos mais velhos, sobe ao trono mesmo com o pai vivo, graças aos esforços da mãe, adepta das intrigas da corte. Seu governo é marcado pela política externa de alianças, muitas delas por meio de casamentos, usados como tática diplomática - Salomão teve 700 mulheres e 300 concubinas.

Praticamente tudo que se conhece de seu reinado vem da Bíblia, porque ele contrata um grupo de escribas para recolher a cultura oral de seu povo e registra 400 anos de lendas e contos em aramaico. Nessa coletânea aparecem pela primeira vez as histórias de Adão e Eva, de Abraão e de Isaac, entre outras. Contudo, ao contrário do que se acredita, não são de sua autoria o Eclesiastes ou o Cântico dos Cânticos.

Com um reinado caracterizado pela opulência, constrói fortalezas, equipa o Exército e, usando a riqueza que acumula com a arrecadação de impostos, executa projetos arquitetônicos como o Templo de Jerusalém, símbolo da unidade nacional dos hebreus - o que restou dele é hoje o Muro das Lamentações de Israel.

 O povo, no entanto, passa fome e sofre com os altos tributos, o que gera ressentimentos. Após sua morte, o reino se divide em Israel, ao norte, sob o comando de Jeroboam I (século 10 a.C.), e Judá, ao sul, sob o comando de Rehoboam, um dos filhos de Salomã.